PERGUNTAS FREQUENTES

1) O que é a Hiperplasia Prostática Benigna (HPB)?

A hiperplasia prostática benigna é uma condição que afeta os homens, principalmente a partir dos 50 anos. Com o avançar da idade, a tendência é ainda maior para o surgimento dessa doença. 

Ela é ocasionada pelo aumento natural do volume da próstata, que passa a ter interferência sobre o canal da uretra, gerando pressão sobre ela e ocasionando diversos sintomas que podem prejudicar significativamente a qualidade de vida do homem.

 

2) A Hiperplasia Prostática Benigna (HPB) e o câncer de próstata são a mesma coisa?

Não. A principal diferença entre a HPB e o câncer de próstata é que, no primeiro caso, há um aumento da próstata que é benigno (não-canceroso), enquanto o câncer é um tumor maligno, que pode ser disseminado para outros órgãos. 

A HPB se caracteriza por vários sintomas, enquanto o câncer, em sua fase inicial, costuma agir de forma silenciosa, sem manifestar sinais. No entanto, embora não exista uma relação entre as duas doenças, o homem pode desenvolver HPB e câncer de próstata ao mesmo tempo, o que reforça a importância das consultas e exames periódicos a partir dos 50 anos de idade.  

 

3) Quais são os sintomas da HPB?

A Hiperplasia Prostática Benigna está relacionada a sintomas ligados à obstrução do canal da uretra ou irritação da bexiga, que podem prejudicar bastante a qualidade de vida do homem. Os principais sinais de HPB são:

  • Urinar muitas vezes ao dia em pequenas quantidades e intervalos (polaciúria)
  • Urinar muitas vezes durante a noite (nictúria)
  • Dificuldade para reter a urina (urgência miccional)
  • Dificuldade para começar a urinar (hesitação)
  • Jato de urina fraco ou com interrupções
  • Perda de urina (incontinência urinária)
  • Sensação de esvaziamento incompleto da bexiga. 

 

4) Como é feito o diagnóstico para hiperplasia prostática benigna?

A próstata aumentada é percebida pelo médico urologista durante a realização do exame de toque retal. O especialista irá analisar o tamanho da glândula e sua consistência. Quando há a percepção da próstata grande ou quando o paciente apresenta sintomas de obstrução urinária, exames complementares são solicitados, como análises da urina e do antígeno específico da próstata (PSA). 

O nível do PSA pode aparecer elevado tanto para casos de HPB quanto no câncer de próstata. Ainda podem ser solicitados outros exames, como a urofluxometria (que mede o volume e a frequência do fluxo de urina), a biópsia de próstata, entre outros. 

 

5) Quais são os possíveis tratamentos para HPB?

Existem recomendações diferentes para o tratamento da hiperplasia prostática benigna conforme a gravidade dos quadros, que podem ser leves, moderados e graves. De maneira geral, os tratamentos para HPB são divididos em medicamentosos e cirúrgicos. 

Para a maioria dos homens diagnosticados com HPB, o tratamento inicial será por meio de medicação com a função de relaxar a musculatura da próstata e aliviar os sintomas de obstrução sobre o canal urinário. 

Quando a medicação não surte o efeito desejado e os sintomas continuam prejudicando a qualidade de vida do homem, o tratamento cirúrgico é indicado, como a Ressecção Transuretral da Próstata (RTU), a terapia a laser por via endoscópica ou a Prostatectomia. 

Atualmente, a medicina moderna oferece opções de tratamentos minimamente invasivos, como a embolização da próstata, que é um procedimento guiado por imagens em tempo real e bastante eficaz para a diminuição dos sintomas da HPB.

 

6) O que é a embolização da próstata para tratamento de HPB?

A embolização da próstata é um método minimamente invasivo para tratamento da HPB. Também chamada de embolização prostática ou embolização das artérias prostáticas, essa técnica é aplicada para reduzir propositalmente o fluxo de sangue que alimenta a próstata. 

Um microcateter (com cerca de 1,7 milímetro de diâmetro) é inserido por meio de um pequeno furo na artéria da virilha ou do punho e guiado por imagens em tempo real (como o raio X e a ultrassonografia) até o ponto exato em que serão injetadas pequenas partículas do tamanho de grãos de areia, inofensivas para a saúde do homem. 

Essas partículas irão obstruir a passagem do sangue para a próstata, ocasionando a diminuição do seu tamanho e ocasionando a melhora total ou parcial do quadro de HPB. Essa técnica é realizada no Brasil desde 2008, apresentando ótimos resultados e taxas muito pequenas de complicações.

 

7) Quais as vantagens da embolização de HPB?

A embolização de HPB é cada vez mais procurada em relação aos tratamentos convencionais por causa de suas vantagens, principalmente pelo fato de ser minimamente invasiva, ser segura, apresentar pequenas taxas de complicações e possibilitar a recuperação mais rápida do paciente. 

Pacientes que realizam a embolização de HPB apresentam pouca ou nenhuma dor depois do procedimento. Essa é uma técnica que pode ser realizada em diferentes casos, independentemente do tamanho da próstata aumentada. 

Além disso a embolização não tem efeitos colaterais que costumam preocupar o homem, como interferência na vida sexual ou incontinência urinária.

 

8) O procedimento de embolização de hiperplasia prostática benigna causa dor durante ou após a realização?

A embolização de HPB é realizada mediante anestesia local ou sedação, sem a necessidade de anestesia geral ou intubação. São poucos os relatos de dor após o procedimento.

 

9) Como é a recuperação do paciente depois da embolização de HPB?

Como o procedimento é realizado apenas com anestesia local e sem a necessidade de cortes, a recuperação é mais rápida do que nos tratamentos convencionais. Geralmente, o paciente fica sob observação entre quatro e seis horas, sendo liberado para voltar para casa após esse período. Depois de um dia de repouso já é possível retornar às atividades rotineiras.

 A recomendação é que sejam esperados sete dias até o retorno às atividades físicas, e de 10 a 15 dias antes de voltar a ter relações sexuais. 

Alguns sintomas podem aparecer, mas sem causar preocupação. Um deles é a sensação de queimação na uretra, que desaparece após os primeiros dias mediante medicação.

 

10) A embolização de HPB pode causar disfunção ou impotência sexual?

A embolização é um procedimento seguro, praticamente isento de complicações. Não causa incontinência urinária e também não interfere na função sexual. Efeitos colaterais são muito raros.

 

11) Qual é o médico especialista que realiza a embolização da hiperplasia prostática benigna?

A embolização da HPB é realizada por um radiologista intervencionista especializado neste tipo de procedimento e credenciado pela Sociedade Brasileira de Radiologia Intervencionista e Cirurgia Endovascular (Sobrice). A opção por esse tipo de tratamento, no entanto, deve ser feita pelo paciente com a orientação do seu médico urologista. 

2 respostas

  1. Tenho hiperplasia prostática, a uns quatro anos, não estou tomando remédio. Gostaria de saber o custo dessa intervenção, obrigado

    1. Boa noite Sr. Edson, tudo bem?
      O investimento totalmente particular do procedimento de Embolização Prostática pode ter uma variação dependendo de paciente para paciente e da cidade / hospital. O custo médio com anestesia local fica aproximadamente R$20-25 mil reais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

16 + doze =