Síndrome Colestática

Os sintomas para identificar a Síndrome Colestática numa pessoa podem ser observados a olho nu: icterícia, colúria e acolia fecal.

Icterícia é o termo relacionado ao amarelamento da pele e das mucosas, mais bem identificada na parte branca do olho. Colúria é a coloração escura da urina, que fica com aparência de Coca-Cola, enquanto a Acolia fecal trata-se de fezes esbranquiçadas. Esses sinais acontecem por causa da obstrução das vias biliares, por onde o fluxo da bile passa do fígado até chegar ao duodeno.

A falta de tratamento para isso pode provocar, entre outras consequências, complicações como infecções (colangite e sepse), coceira por todo o corpo (prurido) e absorção inadequada de algumas vitaminas, o que pode acarretar em emagrecimento, perda de tecido ósseo e tendência a sangrar com facilidade.

Como a Medicina Intervencionista pode ajudar neste quadro?

A Drenagem percutânea da via biliar é um procedimento realizado por um médico Radiologista Intervencionista com a finalidade de drenar o líquido biliar acumulado em excesso dentro do fígado. Depois do estudo dos ductos biliares por exames de contraste, é inserido um cateter de borracha (semelhante a um canudinho) para drenar a bile para fora do corpo ou para dentro do intestino.

Outra possibilidade é o Implante de um Stent Biliar, que tem o mesmo objetivo. Pequenos tubos sintéticos, os stents, são utilizados para passar pela região alterada no ducto biliar e servir como novo tubo que vai drenar a bile produzida pelo fígado e levar para o interior do intestino.

Esses procedimentos minimamente invasivos, que colaboram para a rápida recuperação dos pacientes com síndrome colestática, são feitos por médicos cadastrados no Dica Médica.

Caso tenha dúvidas ou interesse em saber mais informações sobre a Síndrome Colestática e seus possíveis tratamentos intervencionistas, deixe um comentário abaixo, envie um email ou nos contate pelo whatsapp. Nossos especialistas estão à disposição para esclarecimentos e consultas.

Esclareça suas dúvidas ou agende uma consulta com um médico especialista

7 respostas

  1. Boa noite Sra. Jeovania, tudo bem? Se a sua mãe está com um cateter para drenar a bile para fora do corpo, pode ser que esse cateter esteja localizado dentro do fígado. O fígado produz praticamente 1 litro de líquido biliar por dia, todos os dias, portanto se o dreno estiver dentro do ducto biliar ele provavelmente irá drenar esse líquido produzido. É preciso saber qual motivo foi colocado esse dreno para saber qual a programação de retirada do mesmo. Geralmente esses drenos costumam ficar por um bom período até que se programe alguma cirurgia. Sugiro a senhora conversar com os médicos da sua mãe para entender melhor sobre o assunto.

  2. Boa noite, minha mãe está com um cateter para drenar a bili para fora do corpo, o médico informou que ela terá que ficar até parar de drenar e retirar depois que parar, porém a cada dia está drenando a mesma quantidade, não está diminuindo.
    A minha dúvida é o cateter realmente precisa ficar até parar de drenar o líquido e ser retirado sem passar por cirurgia, ou é necessário realizar algum outro procedimento para a retirada.

  3. Bom dia, meu bebê hoje com nove meses tem síndrome colestatica desde o primeiro mês de vida, já fez vários exames inclusive biópsia do fígado e um EXOMA completo, fez também perfil tandem
    Mas nenhum exame foi concluso.
    Me preocupa a questão de ele está cada dia com o abdômen mais distendido as fezes sempre clara, as vezes mistura as cores com fezes também cinza escura
    O xixi é amarelo ouro e desde os dois meses ele está fazendo acompanhamento no hospital Martagão gesteira em Salvador.
    Minha dúvida é a seguinte, esse acúmulo de bilirrubina pode prejudicar o desenvolvimento do meu filho e se seria possível alguma intervenção para drenar essa bilirrubina até fechar o diagnóstico pois ?

  4. Olá boa noite meu marido teve cirroce hepática ficou com olhos amarelo corpo TB foi internado no hospital a qual entrou normal não tava enchado os médicos tava fazendo muito exames nele e só deram remédio de dor no sexto dia ele encheu no sétimo foi entubado e no 10 faleceu , me pergunto será que os médicos fez algo pra salvar a saúde dele ou não no atestado de óbito choque hepática cirroce hepática

  5. Boa tarde Sra. Aparecida. Primeiramente nossos sentimentos pela perda da senhora.
    Em relação às suas dúvidas, o que ocorreu com a sua irmã é bastante comum em câncer de pâncreas. Infelizmente esse tumor na grande maioria das vezes causa os sintomas de icterícia (amarelão) quando já está bastante avançado. Dependendo do gravidade do tumor pode ser necessário realizar os procedimentos de drenagem com pigtail e stent, e a complicação de vazamento de líquido também é possível devido à gravidade do caso. É difícil e eu estaria sendo imprudente dizer se poderia ou não realizar esses procedimentos, pois a análise depende de uma série de dados clínicos, laboratoriais e de imagem. O que posso dizer é que a história da sua irmã é bem frequente em pacientes que apresentar esse tipo de tumor, portanto muito provavelmente o tratamento efetuado era o mais apropriado para ela. Grato pela sua dúvida e espero ter esclarecido.

  6. Boa tarde, minha irmã tinha câncer primário no pâncreas desde abril de 2021com comprometimento das artérias, final do ano passado teve obstrução biliar, foi feito três procedimentos, com colocação dr pigtail e stent, sendo isso nos dias 09, 11 e 13 de janeiro. A partir daí surgiram complicações, como uma operação extensa por causa de um vazamento de líquido e depois liquid o direto nos pulmões e abdômen
    Quase dois meses no hospital, trombose, câncer acelerou produzindo vários pontos de metástase. Vindo a obito. Esses procedimentos invasivos poderiam ser feitos um atrás do outro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esclareça suas dúvidas ou agende uma consulta com um médico especialista

Favor preencher os seus dados