TIPS

TIPS (transjugular intrahepatic portosystemic shunt) é a criação de uma ponte artificial por meio de um implante de um tubo metálico chamado de “stent”, o qual vai desviar uma quantidade de sangue proveniente do trato gastrointestinal diretamente para o coração, a fim de que esse volume de sangue não passe por dentro do fígado. Esse procedimento tem como objetivo reduzir a pressão no interior dos vasos do fígado (veia porta).

Quando é indicado?

O procedimento de TIPS é geralmente indicado em pacientes com doença hepática avançada associada a um aumento exagerado de pressão no sistema porta, chamado de “hipertensão portal”.

A hipertensão portal pode  ocasionar dilatação de veias (varizes) do estômago e esôfago, aumentando o risco de hemorragias graves. Além disso, pacientes com hipertensão portal podem reter líquido dentro do abdômen, conhecido como ascite.

De modo geral as varizes são tratadas com medicamentos e por métodos de endoscopia (ligadura elástica ou esclerose), enquanto que para a ascite o tratamento inicial preconizado é com medicamentos, mudança de dieta e realização de paracentese. O TIPS costuma ser indicado quando esses tratamentos apresentam alguma falha ou complicação.

Como é realizado o TIPS?

Por tratar-se de um procedimento complexo a decisão de realizar um TIPS deve ser realizada após uma análise multidisciplinar, envolvendo um médico radiologista intervencionista, um gastro-hepatologista e um cirurgião hepático. 

O TIPS é realizado em uma sala de hemodinâmica, geralmente com uso de anestesia geral ou sedação. O médico intervencionista insere alguns cateteres através de pequenas punções no pescoço e virilha. Estes cateteres são levados até dentro do fígado e então um stent é implantado confeccionando o TIPS. Após o procedimento o paciente costuma ficar internado por 1-2 dias e depois mantém acompanhamento frequente com os médicos assistentes, com exames periódicos.


Existem riscos relacionados a esse tipo de procedimento?

Todo procedimento médico contempla riscos. Entretanto, de modo geral, quando comparados às técnicas convencionais cirúrgicas, os métodos intervencionistas são aqueles que apresentam os menores índices de complicações. Dos riscos possíveis, os principais são de sangramento durante e após o procedimento, infecções e dor no local. Complicações graves são raras e os médicos do Dica Médica tomam todo o cuidado para a prevenção e tratamento destas possíveis complicações, realizando os procedimento sempre em ambiente seguro, com técnicas reconhecidas por literaturas científicas.