Tratamento de hemorragia do trato gênito-urinário

A hemorragia do trato genito-urinário (TGU) pode ocorrer para dentro do sistema coletor e aparecer na urina (conhecido como hematúria), como também pode ocorrer para dentro ou ao redor dos órgãos e causar hematomas.

Em grande parte das vezes os sangramentos do TGU são auto-limitados, ou seja, melhoram espontaneamente ou com apenas tratamento de suporte clínico. Entretanto, existem algumas situações em que pode ser necessário um procedimento de Embolização para cessar essa hemorragia.

Em que situações uma embolização pode ser indicada?

A embolização de hemorragia do TGU  é um procedimento frequentemente indicado em pacientes que apresentam uma ou mais das seguintes condições:

  • tumores benignos ou malignos que ocasionam sangramentos para dentro ou ao redor dos órgãos do trato genito-urinário (ex: angiomiolipoma, tumores uroteliais de ureter ou bexiga);
  • traumatismos com laceração de órgãos, com destaque para os rins;
  • fístulas ou malformações artério-venosas frequentemente relacionadas a procedimentos cirúrgicos prévios nos órgãos do trato genito-urinário;
  • inflamação da bexiga (ex: cistite actínica por radioterapia);
  • aumento do tamanho da próstata (HPB);
  • pacientes com sangramentos por conta de uso de anticoagulantes e que não podem suspender o seu uso.

Como é realizado este procedimento?

A embolização é realizada durante um procedimento de arteriografia por meio de cateterismo. Introduz-se um pequeno cateter no punho ou virilha do paciente e então um outro cateter muito fino (1 mm de diâmetro) é posicionado dentro das artérias lesionadas que estejam ocasionando o sangramento. 

Em seguida, o médico Radiologista Intervencionista provoca a oclusão dessas artérias (embolização), a fim de obstruir o seu fluxo sanguíneo e, consequentemente, o sangramento.

Existem riscos relacionados a este tipo de procedimento?

Todo procedimento médico contempla alguns riscos. Entretanto, de modo geral, os métodos intervencionistas percutâneos são aqueles que apresentam os menores índices de complicações. Dos riscos possíveis, os principais são observados no local da punção na virilha ou no punho, como por exemplo dor e hematoma. Raramente podem ocorrer embolizações de órgãos vizinhos. Os médicos do Dica Médica tomam todo o cuidado para a prevenção e tratamento destas possíveis complicações, realizando os procedimento sempre em ambiente seguro, com técnicas reconhecidas por literaturas científicas.

👋 Olá, como posso ajudar?