Embolização da próstata para tratamento de HPB

[Se você quer ler esse artigo resumido em uma linguagem mais informal e clique aqui]

A Embolização da Próstata (também chamada de embolização prostática ou das artérias prostáticas – EAP) é uma técnica moderna e minimamente invasiva indicada para pacientes que apresentam um aumento exagerado da próstata, conhecido como Hiperplasia Prostática Benigna – HPB.

Pacientes com a próstata grande podem apresentar sintomas decorrentes da obstrução do canal da uretra ou relacionados à irritação da bexiga, como por exemplo, desconforto ao urinar, jato urinário fraco, dificuldade de segurar a urina (urgência miccional), sensação de esvaziamento incompleto da bexiga, vontade de urinar várias vezes de noite, entre outros.

Prostata aumentada

O que é a embolização da próstata?

É um procedimento minimamente invasivo, sem cortes, realizado de maneira semelhante a um cateterismo. Em uma sala com aparelhos de raio-x em tempo real, o médico intervencionista introduz um pequeno cateter no punho ou virilha do paciente e então um outro cateter muito fino (microcateter) é posicionado dentro das artérias que levam o fluxo de sangue para a próstata (artérias prostáticas).

Em seguida, pequenas partículas sintéticas são injetadas no interior das artérias da próstata, a fim de obstruir (interromper) completamente o seu fluxo sanguíneo. Com isso, a próstata passa a receber pouca irrigação e reduz o seu tamanho, desobstruindo o canal da uretra e aliviando os sintomas do HBP.  

Esse procedimento é indolor e pode ser realizado apenas com anestesia local. Os pacientes costumam ficar cerca de 3-6 horas em recuperação no hospital, recebendo alta logo após e voltando ao trabalho no dia seguinte. 

Confira no vídeo acima detalhes de um procedimento de Embolização e nas imagens abaixo como são visualizadas as artérias que nutrem a próstata.

Em quais casos a embolização prostática pode ser indicada?

Pacientes que apresentam aumento da próstata geralmente são tratados inicialmente com medicações que promovem o relaxamento do canal da uretra. Quando os pacientes continuam a apresentar sinais importantes apesar do tratamento medicamentoso, outros tratamentos costumam ser indicados. Rotineiramente o tratamento mais indicado costuma ser a ressecção transuretral da próstata (RTU) ou “raspagem da próstata”.  Nos últimos anos, diversas novas técnicas vêm surgindo como terapias alternativas à RTU, destacando-se a Embolização.

A Embolização Prostática é um procedimento habitualmente indicado nas seguintes situações:

  • Pacientes com sintomas urinários moderados ou severos;
  • Pacientes com próstatas grandes (maiores do que 60 gramas);
  • Pacientes que não desejam realizar tratamentos cirúrgicos (RTU, greenlight, prostatectomia, entre outros);
  • Pacientes que apresentam efeitos colaterais com o uso das medicações para tratamento da HPB;
  • Pacientes com comorbidades cardíacas, pulmonares ou renais;
  • Pacientes que utilizam medicações que afinam o sangue (anticoagulantes e antiagregantes plaquetários);
 

Os principais benefícios em relação aos métodos cirúrgicos, são a preservação da ejaculação, da ereção e continência urinária em praticamente todos os pacientes. 

Quais os resultados esperados após a Embolização das Artérias Prostáticas?

A próstata recebendo menos sangue após a embolização irá murchar (como se fosse uma ameixa seca), diminuindo o seu tamanho, e consequentemente, desobstruindo o canal da uretra, diminuindo ou cessando completamente os sintomas.

A taxa de sucesso clínico (quando os pacientes sentem-se satisfeitos com o resultado) é superior a 90%, mesmo nos casos de próstatas bastante grandes (maiores que 80 gramas). 

A melhora dos sintomas tem uma duração média de 5 anos, porém podem permanecer por mais tempo variando conforme idade, tamanho da próstata e os sintomas apresentados.

A embolização pode ser repetida sempre que necessário e não causa nenhuma interferência caso outro procedimento venha a ser realizado posteriormente.

Após a embolização a próstata reduz o seu tamanho médio em até 40-50%. A redução do tamanho inicia por volta de 20 dias e ocorre até os 6 meses após o procedimento. 

Como é a recuperação após a Embolização?

O paciente que realiza a embolização prostática permanece em observação pelo período de quatro a seis horas. Depois disso, ele é liberado para retornar para casa. 

Geralmente, o homem está apto para retornar ao trabalho no dia seguinte ao procedimento, recomendando-se ficar sete dias sem realizar atividades físicas intensas.

Na primeira semana após a embolização podem ocorrer o sintomas leves, como aumento da frequência urinária, ardência ao urinar, dificuldade em conter a urina, dor sobre a bexiga.

Quais são os riscos da Embolização das Artérias Prostáticas?

Os efeitos adversos quando presentes são brandos e costumam durar em média até 1 semana. 

Os mais comuns são a Síndrome Pós-Embolização (caracterizada por dor leve e pequeno aumento da temperatura nos primeiros dias pós-procedimento), disúria (ardência para urinar), dor pélvica (na região da bexiga).

A embolização não altera a ereção e mantém preservadas a ejaculação e a continência urinária na grande maioria dos pacientes sendo esses os principais benefícios em relação aos demais procedimentos.

Esclareça suas dúvidas e encontre o médico mais perto de você.