Pós-operatório da embolização da próstata: o que preciso saber?

Quase sempre o período que vem após um procedimento ou cirurgia traz certa preocupação ao paciente, mas por se tratar de um procedimento minimamente invasivo, normalmente o pós-operatório da embolização da próstata apresenta diversos benefícios quando comparamos com as cirurgias convencionais. Lembrando que a embolização das artérias prostáticas é uma alternativa de tratamento moderno para controlar o aumento da próstata, causado pela hiperplasia prostática benigna (HPB) – problema comum entre a população masculina em idade mais avançada. 

Dúvidas e receios são comuns, então abordaremos neste artigo os principais aspectos do pós-operatório da embolização da próstata e os cuidados necessários para uma recuperação tranquila e efetiva.

 

Quais cuidados manter após a embolização da próstata?

As cirurgias minimamente invasivas já apresentam grandes vantagens nessa questão. Por se tratarem de técnicas sem cortes, os procedimentos são menos agressivos, sem cicatrizes e permitem uma rápida recuperação.

O pós-operatório da embolização da próstata costuma ser simples. Normalmente após a cirurgia o paciente é monitorado por um período entre 2 e 6 horas e, se tudo estiver bem, poderá ser liberado para casa no mesmo dia. Recomenda-se não dirigir nos primeiros dois dias.

No dia seguinte é permitido retorno às atividades normais, com exceção de atividades físicas, as quais sugere-se repouso de uma semana. Se o procedimento for realizado pela artéria da virilha, o ideal é evitar dobrar a perna e realizar agachamentos no primeiro dia após o procedimento. Relações sexuais geralmente são liberadas após 2-4 semanas.

 

Precisarei usar sonda?

Muitos dos pacientes que realizam o procedimento de embolização já estão utilizando sonda devido obstruções do fluxo urinário. Para os pacientes que já utilizam a sonda, é realizada a primeira tentativa de retirada após 2 semanas do procedimento. É normal começar a vazar urina entre a sonda e a uretra, o que significa que a próstata está diminuindo de tamanho e abrindo o canal.

Nos pacientes que nunca precisaram usar sonda, na grande maioria dos casos não vai ser preciso utilizar para o procedimento de embolização. Apenas em casos muito graves, como aqueles pacientes que praticamente não conseguem urinar, ou então, pacientes com próstatas muito aumentadas (maiores do que 150 gramas) pode ser necessário o uso de sonda por alguns dias.

 

Serão receitados medicamentos?

Como explicado no artigo anterior sobre o preparo para embolização da próstata, um antibiótico é iniciado antes do procedimento e então tomado por 7 dias, com intuito de prevenir infecção urinária da bexiga e da próstata.

Para evitar uma inflamação acentuada da próstata, também são prescritos medicamentos anti-inflamatórios e analgésicos por 5 dias. 

 

Quais são os sintomas esperados e possíveis complicações na recuperação?

Nas duas primeiras semanas após o procedimento é esperada uma inflamação da próstata. É totalmente normal haver aumento expressivo do PSA e sintomas de dor e ardência ao urinar, como também aumento das idas ao banheiro.

Após 2 semanas do procedimento a próstata começa a murchar de tamanho e os sintomas gradativamente vão melhorando, com o paciente percebendo uma melhora do jato urinário e menos necessidade de ir ao banheiro.

Embora pouco frequentes, algumas complicações podem ocorrer durante a recuperação, tais como infecção da próstata, sangramento na urina, obstrução da uretra (por coágulo ou pelo inchaço da próstata), inflamação da uretra, dor ao evacuar. Essas complicações costumam ser passageiras (1 semana) e bem controladas com uso de medicações.

 

Existe a possibilidade de recorrência dos sintomas após a Embolização?

A redução do tamanho da próstata se inicia após 2 semanas do procedimento de embolização e continua reduzindo progressivamente até 6 meses, quando atinge uma redução média de 30-50% em relação ao tamanho antes do procedimento.

Diversos estudos mostram que a embolização é segura, eficaz e pode ter resultados tão satisfatórios quanto a cirurgia tradicional para tratamento da HPB, com taxas de sucesso de 80% após 5 anos do procedimento e de 60% em 10 anos. 

É importante lembrar que a melhora e tempo de alívio dos sintomas é variável de paciente para paciente, pois as próstatas possuem tamanhos e formas diferentes, além de os sintomas que incomodam um paciente poderem ser totalmente diferentes de outro paciente.

Por isso, mesmo alguns anos após a cirurgia, é essencial que o paciente mantenha um acompanhamento com o médico intervencionista que realizou o procedimento, para manter o controle da situação e ajudar a detectar precocemente possíveis sinais de recorrência da HPB.

Caso os sintomas retornem, a embolização poderá ser repetida, ou então, qualquer outra técnica convencional também pode ser realizada sem nenhum prejuízo.

Se você quer saber mais sobre esse procedimento, no Portal Dica Médica você encontra médicos especialistas próximos a você. Você também pode clicar aqui e preencher um rápido cadastro para solicitar um atendimento. Continue acompanhando o Portal Dica Médica também pelo Instagram e Facebook.

Esclareça suas dúvidas ou agende uma consulta com um médico especialista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esclareça suas dúvidas ou agende uma consulta com um médico especialista

Favor preencher os seus dados