Ablação: Um Guia Completo

Utilizado para tratar diversas condições de saúde, que vão desde doenças cardíacas até tumores malignos. Neste artigo, vamos explorar o que é a ablação, como ela é realizada, os diferentes tipos de ablação e suas aplicações, bem como os possíveis efeitos colaterais e riscos envolvidos. Além disso, discutiremos alguns assuntos relacionados, responderemos às perguntas frequentes e forneceremos referências úteis sobre o tema.

 

O que é a Ablação ?

A ablação é um procedimento médico minimamente invasivo que envolve a destruição ou remoção de tecido indesejado do corpo. Ela é realizada usando várias técnicas, dependendo da condição a ser tratada. Vamos explorar os principais tipos de ablação:

 

1. Ablação Cardíaca por Cateterismo

A ablação cardíaca é frequentemente utilizada para tratar arritmias cardíacas, como a fibrilação atrial. Nesse procedimento, cateteres são inseridos nas veias e guiados até o coração, onde são usados para destruir as áreas do tecido cardíaco que causam as irregularidades elétricas.

 

2. Ablação de Tumores por Agulha

A ablação de tumores é uma opção de tratamento para pacientes com câncer em estágios iniciais ou para aqueles que não são candidatos à cirurgia. Existem diferentes técnicas de ablação por agulha para tratar tumores, como por exemplo agulhas que queimam o tecido (radiofrequência e micro-ondas), agulhas que congelam o tecido (crioablação / crioterapia) e a eletroporação. Explicaremos como cada uma dessas técnicas funciona, para quais tipos de tumores podem ser utilizados e quais são suas vantagens e limitações.

Confira no vídeo abaixo uma matéria exclusiva realizada pelo nosso membro Dr. Eduardo Medronha sobre ablação de tumores por agulha

 

 

3. Outros tipos menos frequentes de ablação

Existem algumas outras técnicas recentes que utilizam a ablação para tratamento de doenças, por como exemplo:

  1. ablação de veias varicosas (varizes): um procedimento realizado para tratar veias dilatadas e tortuosas que causam sintomas como dor, inchaço e desconforto estético. Entre os métodos mais comumente utilizados destaca-se a ablação por radiofrequência e a ablação a laser.
  2. ablação endometrial: remoção ou destruição do endométrio em toda a sua espessura e extensão, utilizada para tratar sangramentos uterinos aumentados.
  3. ablação química de lesões: quando são utilizados agentes líquidos, como por exemplo álcool ou ácido para cauterizar algum nódulo ou lesão, geralmente na pele.

 

Quando a ablação é indicada? 

A ablação é indicada em várias situações, dependendo da condição a ser tratada. Alguns exemplos de indicações comuns incluem:

  • Ablação cardíaca: quando os medicamentos não controlam efetivamente arritmias cardíacas, como a fibrilação atrial.
  • Ablação de tumores: quando a cirurgia convencional não é possível ou quando o paciente opta por um tratamento menos invasivo, a ablação pode ser uma ótima indicação. Os tumores mais frequentemente tratados são os tumores de rim (benignos malignos), tumores primários de figado , metastases pro fígado, tumores primários e metástases para o pulmão, tumores de adrenais, tumores ósseos (osteoma e metastases), tumores de tireoidemiomas.
  • Ablação de veias varicosas: quando as veias varicosas causam sintomas significativos, como dor persistente, inchaço ou úlceras.
  • Ablação de lesões cutâneas: para remover lesões cutâneas benignas ou pré-cancerígenas que estejam causando desconforto ou preocupação estética.
  • Ablação de endometriose: quando a endometriose causa dor crônica intensa e outros tratamentos não proporcionam alívio adequado.

 

Quais os riscos do procedimento de ablação? 

Embora a ablação seja geralmente considerada segura, existem alguns riscos associados ao procedimento. Esses riscos podem variar dependendo do tipo de ablação e da condição específica do paciente. Alguns possíveis riscos incluem:

  • Sangramento ou hemorragia durante ou após o procedimento.
  • Infecção no local de inserção do cateter ou da agulha na área tratada.
  • Danos aos órgãos adjacentes durante a ablação.
  • Reações alérgicas aos materiais utilizados durante o procedimento.
  • Formação de coágulos sanguíneos.
  • Irritação da pele ou queimaduras nas áreas tratadas. É importante discutir esses riscos com o médico antes de realizar o procedimento de ablação.

 

O que o paciente sente durante a ablação? 

Durante a ablação, o paciente geralmente recebe uma sedação ou anestesia geral para garantir conforto e minimizar a dor. Durante o procedimento, o paciente geralmente não sente nenhuma dor ou desconforto.

Nos casos de ablação cardíaca podem ser utilizados estímulos elétricos para mapear a atividade elétrica do coração, o que pode causar sensações semelhantes a palpitações ou batimentos cardíacos acelerados. No entanto, como o paciente está sob anestesia, a maioria das sensações desconfortáveis é geralmente tolerável.

 

Como é o pós-operatório da ablação por cateter? 

O pós-operatório da ablação por cateter varia de acordo com o tipo de ablação e as características individuais do paciente. Geralmente, após o procedimento, o paciente é observado em uma sala de recuperação para monitorar sua condição. O tempo de recuperação no hospital geralmente é de 6 a 24 horas.

É comum sentir algum desconforto, como dor no local de inserção do cateter. O médico pode prescrever medicamentos para ajudar a controlar a dor, se necessário. É fundamental seguir as instruções pós-operatórias fornecidas pelo médico, como evitar esforços físicos intensos e tomar os medicamentos conforme prescrito.

 

Como é o pós-operatório da ablação por agulha? 

O pós-operatório da ablação por agulha varia principalmente conforme o órgão e número de tumores que forem tratados.

Ablações de tireoide e de miomas uterinos costumam ter a sua recuperação muito rápida, podendo o paciente ser liberado para casa nas horas seguintes sem nenhuma queixa.

Ablações de tumores ósseos, pulmão e de órgãos abdominais (como por exemplo, fígado, rim e adrenais) podem requerer um período de observação por 6 a 24 horas. Nesse tempo são observados a presença de possíveis complicações, como dor e sangramento.

Após a alta hospitalar os pacientes geralmente retornam às atividades normais do dia-a-dia entre 1-2 dias, entretanto devem suspender suas atividades físicas intensas por 1 semana.

 

Quem pode realizar esse procedimento? 

A ablação é um procedimento médico especializado que é geralmente realizado por médicos com treinamento específico. Para ablações cardíacas, um eletrofisiologista cardíaco é o especialista responsável pelo procedimento.

A ablação de tumor por agulha preferencialmente é feita por médicos especialistas em radiologia intervencionista, embora algumas vezes outros médicos possam realizar.

É importante procurar um médico qualificado e experiente na área específica de ablação que você precisa realizar. O médico poderá avaliar sua condição e determinar se você é um candidato adequado para o procedimento.

 

Assuntos Relacionados

A ablação está intimamente relacionada a outros tópicos no campo da medicina e da saúde. Aqui estão alguns assuntos relacionados que podem despertar seu interesse:

  • Cirurgia Minimamente Invasiva: Exploraremos as vantagens da ablação em comparação com a cirurgia tradicional, destacando os benefícios de um procedimento menos invasivo.
  • Radioterapia e Radiocirurgia: Compararemos a ablação com a radioterapia, discutindo as diferenças entre essas duas opções de tratamento para tumores.
  • Tratamentos alternativos à ablação: Analisaremos outras abordagens de tratamento para as condições mencionadas, como cirurgias, quimioterapias, entre outros.

Esclareça suas dúvidas ou agende uma consulta com um médico especialista

4 respostas

  1. Boa noite Sra. Zilda, tudo bem? A ablação é uma cirurgia que pode ter graus variados de complexidade. Dependendo do caso o médico pode sim cobrar de forma diferenciada se for realizada ablação de mais de um nódulo. É tudo muito variável. Nos planos de saúde costuma-se cobrar por número de nódulo tratado.

  2. Sr. Jorge, tudo bem?
    Para realizar uma ablação é necessário de diversos aparelhos, os quais podem variar conforme a localização do nódulo. Ablação percutânea por agulha requer geralmente aparelho de tomografia, ultrassonografia e o aparelho da fonte de energia (radiofrequencia ou microondas por exemplo). O custo de tais aparelhos passam de 1 milhão de reais, mas esses aparelhos costumeiramente já existem nos hospitais. Portanto para realização apenas do procedimento o que se paga é o custo da agulha utilizada, custas hospitalares e da equipe médica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agende uma consulta com um especialista

Inscreva-se em nossa newsletter

Verifique o número digitado
Campo obrigatório
Campo é obrigatório!
Campo é obrigatório!

Favor preencher os seus dados

Por favor, selecione uma das opções de contato abaixo: